Dicas e Novidades

Companheiros para a vida: cuidados com cães e gatos idosos

Todos nós queremos envelhecer com saúde e tranquilidade, e queremos o mesmo para nossos pets. Felizmente, a busca pelo entendimento da saúde dos animais e os avanços na Medicina Veterinária permitem que hoje eles vivam mais e melhor. Para você que cuida e se preocupa com seu velhinho, muitas informações podem ajudar a manter ele bem, seja compreendendo as mudanças esperadas com a idade ou sabendo sobre as doenças mais comuns relacionadas ao envelhecimento.

IMG_4603

 

O que são cães e gatos idosos?

Assim como humanos, alguns cães e gatos envelhecem mais rapidamente que outros. De modo geral, cães e gatos podem ser considerados idosos a partir das seguintes idades (depois, são considerados geriátricos):

Gatos 11 a 14 anos
Cães pequenos (até 10 kg) 9 a 13 anos
Cães médios (10 a 25 kg) 9 a 11 anos
Cães grandes (25 a 45 kg) 7 a 10 anos
Cães gigantes (acima 45 kg) 6 a 9 anos

Com um bom cuidado, muitos cães e gatos podem viver até vinte anos ou mais. É importante entender que o seu animal provavelmente passará por certas alterações físicas com a idade. Algumas, como redução da função dos rins, podem estar associadas com doenças que afetarão quanto tempo – e o quão bem – ele irá viver. Outras, como a habilidade diminuída de enxergar, ouvir ou sentir gosto, exigem certas mudanças em como você deve interagir e cuidar do seu companheiro.

Algumas mudanças comuns associadas com a idade incluem:

  • Ciclo do sono alterado
  • Mudanças na visão
  • Surgimento de manchas marrons na íris
  • Surgimento de calos
  • Sentido do cheiro diminuído
  • Unhas frágeis
  • Reserva pulmonar diminuída
  • Problemas circulatórios ou cardíacos
  • Digestão ou capacidade de absorver nutrientes diminuída
  • Elasticidade da pele diminuída
  • Habilidade de lidar com o estresse diminuída
  • Mudanças no comportamento

Compreender as mudanças do envelhecimento, bem como o que é considerado “normal” e o que é sinal de uma condição tratável, pode ser desafiador. Levar o seu animal regularmente ao Veterinário pode ajudar a diagnosticar precocemente condições relacionadas com a idade, podendo assim manejá-las e atrasar sua progressão.

Seu Papel como Tutor

Assim como uma criança depende dos seus pais para o seu bem-estar, seu animal depende de você para prover cuidados contínuos e conforto. Desenvolver uma relação com o Veterinário permite que ele ou ela tenha conhecimento esclarecido do histórico médico, bem como um entendimento das suas expectativas para seu companheiro. O Veterinário irá depositar em você a confiança de prover informações sobre seu cão ou gato, que podem revelar sinais ou mudanças comportamentais.

Visitas para o Bem-estar do Cão e Gato Idoso

Os cães e (especialmente) gatos são mestres em esconder doenças e podem parecer bem, mesmo com problemas acontecendo. Com o avanço da idade, o exame desses animais com maior frequência irá ajudar a detectar os problemas precocemente, resultando em melhor manejo das doenças e melhor qualidade de vida.

Especialistas recomendam que os animais idosos saudáveis sejam examinados por um Veterinário a cada seis meses. Na vida de um pet sênior, seis meses é aproximadamente o mesmo que dois anos dos humanos, tempo suficiente para mudanças significativas em relação a idade ocorrerem.

O check-up consiste em atualização das vacinas, prevenção de parasitoses e examinar:

  • Peso e condição corporal
  • Qualidade da pele e pelos
  • Boca, gengivas e dentes
  • Olhos e ouvidos
  • Glândula da tireoide
  • Coração e pulmões
  • Abdômen
  • Articulações e músculos
  • Glândulas perianais
  • Cadeia mamária (fêmeas)
  • Próstata (machos)

Além disso, o Veterinário pode recomendar que amostras de sangue e urina sejam coletadas para testes laboratoriais de rotina. Isso irá ajudar a detectar problemas precocemente e permitirá instituir medidas de tratamento ou prevenção da evolução do quadro.

Antes do atendimento, prepare-se para responder as seguintes perguntas:

  • Qual ou quais alimentos seu animal está comendo?
  • A ingestão de água e alimento aumentou ou diminuiu nos últimos tempos?
  • Notou alguma alteração nas fezes (consistência, coloração, dificuldade para defecar, frequência)?
  • Notou ocorrência de vômitos? Se sim, com que frequência?
  • Notou mudanças de comportamento?
  • Notou cansaço fácil, tosse ou dificuldade respiratória?
  • A interação social com pessoas ou outros animais mudou?
  • No caso dos gatos, eles estão se higienizando normalmente?

Nas próximas semanas a VETS irá passar algumas dessas informações para que você possa ficar ainda mais atento ao seu companheiro!